Posts com a Tag ‘Asia’

Hanoi – Vietnan

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Chegamos no Vietnan no final da tarde. Pela janela, o sol estava se pondo e ao longe, uma espessa neblina pairava pelos campos e fazendas que separam o centro de Hanoi e o aeroporto.

Pela janela observava os camponeses que traziam cestos de cascas de arroz para queima-los ali na estrada. Algumas fabricas apareciam de vez em quando. O ar era pesado, a neblina era tao espessa que parecia ter havido um grande incendio.

Tinhamos uma breve nocao de como chegar ate o hotel e, apos uma hora dentro do onibus, comecamos a ficar preocupados, pois ja haviamos passado por alguns centros que poderiam ter sido nossa parada.

Pedimos informacoes a uma senhora do nosso lado, mas ela nao falava ingles entao ficamos na mesma. Ate que um rapazinho, muito simpatico e bem vestido, apareceu ali do nada e se prontificou a nos ajudar. Muito bem articulado, veio durante o caminho conversando conosco, fazendo perguntas sobre nos, nossa viagem, nossos paises de origem.

Ele tinha um carisma natural e, assim que chegamos na parada final, se ofereceu a nos ajudar a pegar um taxi, pois segundo ele, alguns taxistas dali sao super mal intencionados e geralmente cobram o triplo do preco normal dos turistas.

Em poucos segundos, conversando em vietnamita, organizou com um motorista nosso trajeto. Entramos no taxi e ele, veio junto. Ficamos apreensivos, mas tava tudo acontecendo tao rapido, que apenas rezamos para que nao fosse roubada.

Bom, chegamos na area do Old Quarter, onde nosso hotel estava localizado. Mas ao inves de levar aonde haviamos solicitado, o taxi parou de frente a um outro hotell nada a ver. Os funcionarios logo vieram comprimentar nosso ‘amigo’ e o motorista em seguida veio nos cobrar uma quantia absurda pelo trajeto.

Roubada. Tava na cara. Meu, depois de todas nossas aventuras e desventuras, achei que estariamos mais escolados em farejar situacoes como esta, mas nao. Aqui a galera eh mais maliciosa, os espertinhos sao mais rapidos, no pensar e agir do que em outros paises. Na India por exemplo, a jogada era lancada e havia um momento em que pareciam esperar para ver nossa reacao e tinhamos tempo para aceitar ou nao. Aqui nao, com um sorriso no rosto e cheio de piadinhas, ele foi aos pouquinhos nos levando para onde ele queria.

O Al a esta altura tava puto. Bom, recusamos entrar no hotel e tambem a pagar o taxi. A discussao comecou no meio da rua, pessoas comecaram a se aglomerar a nossa volta. Concordamos em pagar parte do taxi e ir andando ate nosso hotel. Nosso amigo reclamou por nao termos pago o taxi todo e ai, perdi a paciencia tambem ‘voce tambem veio conosco….a parte que ta faltando e a sua’. E assim, pegamos nossas mochilas e fomos a procura de nosso hotel.

As ruas do Old Quarter sao confusas, comecam com um nome  e terminam com outro. A frente das casas e predios sao super estreitas. Dizem que, como em Amsterdan, o imposto pela propriedade aqui e pago de acordo com o espaco que ocupam na rua. Assim, paga-se menos se sua casa tiver uma frente menor, nao importando quantos andares ou quao profunda ela eh.

Nao conseguimos achar o hotel que queriamos, mas achamos um bem bacana e logo deixamos nossas mochilas. Depois da discussao e do perrengue que passamos, vimos que mereciamos uma boa e gelada cerveja. E assim, seguimos em direcao ao Hoan Kiem Lake, um lago localizado no centro e nao muito longe de onde estavamos.

Meu, sair nas ruas de Hanoi e uma aventura a parte. As vias estreitas carregam uma quantidade alucinante de motos e rickshaws. As calcadas tambem sao lotadas. De pessoas, de mesinhas dos pequenos bares e barraquinhas de ruas. Muvuca, por todos os lados. Ha uma ordem nesta desordem, que comecei a aprender ao atravessar a rua: o negocio e manter o ritmo normal, nao correr nem parar no meio da avenida. Assim, voce comeca a fazer parte deste mosaico e institivamente, os motoristas desviam de voce. A tatica quase sempre funciona….

A muvuca e sonora e visual e voce se ve assim, bombardeado de informacoes. Mas mesmo assim, e fascinante estar ali.

Paramos num restaurante em frente ao lago e, apesar do lugar ser um pega-turista, a vista era barstante prazeirosa. O lago a nossa frente traz uma historia interessante. Dizem que durante o seculo XV, o imperador Ly Thai To recebeu uma espada dos ceus. Com ela, conseguiu reconquistar o dominio sob o pais e espantar os chineses que se apoderaram da regiao.Ao passear pelas margens do lago, uma tartaruga dourada apareceu, surrupiou a espada e sumiu por entre as aguas e por isto o lago leva o nome de Hoan Kiem Lak, que quer dizer o lago da espada recuperada… (mas deveria ser perdida, nao?)

Voltamos para o hotel pelo Hang da Market, um mercado de rua noturno cheio de barraquinhas vendendo roupas, DVDs piratas e artigos para casa.

Descansamos bem e logo que o dia amanheceu, saimos para explorar a cidade. Ali no Old Quarter mesmo ha varias atracoes a serem visitadas, nao muito distantes.  A luz do dia, as ruas parecem diferentes.

Ainda ha  o mesmo rebulico constante de pessoas e motos. Mas agora da para ver melhor os predios, as lojas e entender melhor a cidade. Na nossa area, o comercio parece ser dividido por especialidade, tipo as vezes passamos por varias lojas vendendo panelas. OUtras, sapatos. Ali proximo do nosso hotel, as lojas vendem fechaduras, o que achei otimo, pois se me perder, e so perguntar onde posso comprar uma tranca…

Os predios, em pequenos detalhes, as vezes lembram um pouco os suburbios de Paris, com suas sacadinhas de ferro com detalhes trabalhados. Mas a frente estreita e uma caracteristica propria daqui mesmo. As vezes da para ver apos os fundos da loja, um pedacinho da casa do seu proprietario, que deve habitar ali com a familia inteira, incluindo os pais, esposas, filhos.


As vezes tambem encontramos com camponeses com aqueles chapeuzinhos em formato de triangulo, carregando frutas e vegetais em trouxinhas, penduradas em cada lado de um pedaco de madeira.E claro, muitos turistas.

O Old Quarter e a area favorita dos ocidentais e, depois de passar por lojas bem simples, entramos numa rua cheia de agencias de viagens. Pesquisamos em tres delas um tour para ir ate Halong Bay e ficamos de cara com a discrepancia de precos entre elas. Fechamos com uma agencia que nos ofereceu um tour bem bacana, por 95 dolares, passaremos dois dias em um barco-hotel na baia e a ultima noite num hotel. Todas as refeicoes estao inclusas, bem como todos os passeios. Otimo.

Continuamos nossa circulada pela cidade e chegamos ate o lago. Fomos visitar o Ngoc Temple que fica numa ilha e dali, continuamos pelo parque.

A passarela em volta e como um oasis. Passeando por entre as arvores, dificil acreditar que a muvuca nao esta muito longe dali. A atmosfera e tranquila e prazeirosa.

Caminhamos em direcao ao Museu de Etmologia do Vietnam. Paramos para comer numa das barraquinhas e cara, morri de rir. As mesinhas na rua tinham o mesmo tamanho daquelas mesinhas de criancas, de plastico, aquelas que usavamos para brincar de casinha. O Al tem mais de um metro e oitenta. Ver ele ali espremidinho, tentando se equilibrar, cara foi hilario!!!

As pessoas aqui sao pequenininhas e mais marginhas que os ocidentais. Tambem, embora o turismo esteja crescendo bastante no pais, a lingua as vezes e uma barreira e e preciso ficar atento, pois mais de uma vez perguntei o preco com antecedencia na hora de pedir um lanche, para descobrir depois que ‘havia ouvido errado’…Da proxima vez vou pedir para eles escreverem. E assinarem embaixo! ahhahahah

O museu fica num predio lindo, estilo neo-colonial. A exposicao ostenta alguns artigos interessantes, mas fiquei um pouquinho desapontada, pois nao ha quaisquer referencias sobre a guerra. Segundo o Al, que ja esteve no pais antes, uma das maiores mostras esta em Saigon, ou Ho Chi Minh City.

Mas so de estar ali, e impossivel nao pensar no assunto. Principalmente porque nao faz tanto tempo assim que o pais esteve em guerra e, aqueles senhores de sessenta e poucos anos que vemos na rua provavelmente participaram do conflito. Alias, quase todo mundo que vivenciou o periodo participou de uma forma ou de outra.

Ali comecou uma admiracao por este pais que ao longo dos anos passou por guerras apos guerras, escapou de um colonialismo brutal e enfrentou o pais mais poderoso do planeta.

O Vietnan veio ao longo dos seculos enfrentando gigantes sejam eles chineses, franceses, ou americanos. Contra os primeiros, foram quase dez seculos de resistencia para enfim obterem sua independencia politica, que durou ate 1883, quando a Franca anexou seu territorio como colonia.

Durante este periodo, a resistencia mais eficiente contra o dominio europeu veio de uma organizacao comunista, fundada por Ho Chi Minh, a Liga Revolucionária para a Independência do Vietnã, em 1925. A liga tambem foi a unica a resistir eficientemente a ocupacao japonesa no pais, durante a segunda guerra mundial.

Apos a retirada do exercito japones, Ho Chi Minh e seu grupo ja controlavam grande parte do pais e assim, declararam sua independencia.

Em 1946, a tentativa francesa de restabelecer o colonialismo no Sudeste Asiático provocou a Guerra da Indochina, em que o imperialismo francês enfrentou grupos de guerrilhas no Vietnã e no Laos, culminando com a derrota francesa na Batalha de Dien Bien-phu em 1954.

A Conferência de Genebra, de 1954, convocada para negociar a paz, reconheceu a independência do Vietnam, mas temporariamente diviu o pais em dois, o Vietnam do Norte, socialista  e liderado por Ho Chinh Min e o Vietnan do Sul, pro-capitalista e liderado por Ngo Dinh Diem.

Este ultimo era um lider catolico e anti-comunista que ficou conhecido pela brutalidade de seu regime e acabou sendo assassinado por sua propria tropa, em 1963. Em 1964, o governo de Hanoi, ao Norte ordenou que suas tropas infiltrassem-se ao sul do pais e o regime de Saigon chegou proximo ao colapso.

Em 1965, os EUA enviou suas primeiras tropas de combate, bem como o fizeram os paises da Coreia do Sul, Australia, Tailandia e Nova Zelandia.

Sem poder contar com o poderoso armamento belico americano, mas fazendo uso do  bom conhecimento de seu espaco geografico, os Vietcongs utilizaram-se de tecnicas de guerrilhas, emboscando tropas inimigas com ataques surpresas.

Em 1968, durante o Ano Novo Lunar celebrado no Vietnam, as forcas de Ho Chinh Min e do Vietcong quebraram a tregua esperada durante este periodo do ano e desfecharam um ataque de surpresa , conhecido como ‘Ofensiva do Tet’, que compreendeu o ataque de mais  de cem cidades no Vietnã do Sul, incluindo à embaixada dos Estados Unidos.

A ofensiva foi mais eficaz no plano moral do que no real, uma vez que ate entao, as informacoes difundidas pela midia era de que o exercito americano sairia do Vietnam vitorioso. O ato causou repercussao e confusao e as demandas para o termino do conflito tornaram-se mais intensas. Em 1973, os americanos deixaram o pais e em 1975, o exercito comunista tomou conta de Saigon.

Com o final da Guerra Fria e com o colapso da Uniao Sovietica em 1991, o pais se reaproximou do Ocidente, recebendo investimentos estrangeiro e alimentando-se da industria do turismo e e um dos paises que mais cresceu no Sudeste da Asia.

Nao ha como esquecer um passado tao cheio de acontecimentos. A figura de Ho Chin Minh esta espalhada por toda a cidade atraves de posteres. Como em Moscow, aqui tambem ha um mausoleu onde o corpo embalsamado do lider encontra-se exposto em uma redoma de vidro e pode ser visitado em algumas epocas do ano.

Como amanha cedinho partiremos para Halong Bay, nao teremos a oportunidade de ir visita-lo…Entao, depois de experimentar uma das famosas baguetes de rua, um dos legados franceses na cidade brindamos com uma cervejinha, num restaurante no topo de um ds predios que circundam o lago.

Infelizmente estamos com problemas em nosso memory card e nao pudemos postar nossas fotos e filmes para este post. Utilizamos as fotos dos sites:

http://www.tripadvisor.com
http://www.hotels-in-vietnam.com

http://www.travelblog.org

http://www.traveladventures.org

http://www.britannica.com