Chiang Mai – Tailandia


O trem que pegamos ate Chiang Mai e um destes trens noturnos, e deveremos chegar ao nosso destino pela

manha. Eu simplesmente adoro viajar assim, acho que voce ve muito mais do pais desta maneira, quando cruza a cidade ate seus suburbios mais distantes, ate passar por areas desabitadas, fazendas, campos, fora dos centros comerciais e turisticos. E como chegar na casa de alguem de surpresa pela manha.

Os trens na Tailandia sao bem modernos e limpos. Nosso vagao veio lotado de mochileiros, uma galera bem nova, e bem internacional, que vieram fazendo a maior festa.

Na hora de dormir, um funcionario apareceu ali do nada, meio que adivinhando nossa intencao e, com uma rapidez impressionante, reenclinou as poltronas transformado-as em camas, colocou o lencol,  cobertor e assim, a cama apareceu arrumadinha para nos. Cada caminha tem uma luz de cabeceira e cortinas e voce fica la dentro fechadinho, apesar deque, com o barulho que a galera veio fazendo, foi dificil dormir.

Pela manha, acordamos com o cafe-da-manha, que uma funcionaria veio nos trazer. O tiozinho arrumador de camas apareceu de novo, e rapidamente transformou as camas em poltronas de novo e colocou uma mesinha entre elas. E ali, tomando um cafezinho super gostoso, me perdi na paisagem que corria a minha frente.

A vegetacao e espessa, as arvores intercalam-se com matos altos, flores exoticas as vezes aparecem. Ha um toque de tropical, mas ha tambem um toque oriental. A mata e bem distinta. E linda. Nao me canso de olhar.

Chegamos em Chiang Mai ja no comeco da tarde. Saindo da estacao, varios taxistas nos aguardavam, com sugestoes de acomodacao nas proximidades, entao apenas subimos num dos veiculos estacionados ali na porta da estacao. Percorremos pela cidade, que por sinal e encantadora, cheia de belos templos e recortada por uma muralha anciente. Logo chegamos numa pousadinha super bonitinha, decorada com belos moveis de madeira trabalhada e, adivinha, a galera do trem  tambem apareceu por al.

Descansamos durante a tarde e a noite, fomos conhecer os famosos bazares noturnos da cidade. Caminhamos um tanto ate que as barraquinhas comecaram a aparecer, tanta coisa legal, nossa da vontade de comprar tudo o que vemos pela frente! Mas a mochila ja tah pesadinha do jeito que esta, entao, apenas comprei uma sandalia imitacao da marca alema Birkinstocks.

Jantamos ali pelo mercado, numa das varias barraquinhas de comida. Ao voltarmos para o hotel, os mochileiros do trem tavam ali pela piscina. Comprei umas cervejas e nos juntamos a eles. O grupo era bem variado, umas meninas alemas, um americano, alguns holandeses. Eles estarao indo para a ‘Full Moon Party’ que acontecera na ilha de Ko Phan Gan, onde tambem iremos.  Os donos do hotel tambem aderiram ao nosso grupo e colocaram na mesa um whisky local que era um averdadeira bomba.

A noite foi divertidissima. Pela manha, enquanto tomavamos cafe-da-manha, estudamos o mapa da area. Vi uma menina colocando umas fotos na internet de tigres bebes e fiquei super curiosa: em algum lugar por ali perto deve haver uma reserva. E seria um sonho ir visita-los. Vasculhamos o mapa ate que encontramos o lugar. Alugamos uma motinho e para la fomos.

A reserva nao ficava muito longe e o caminho para la foi bem bonito, pois fora da area urbana, da para ver as montanhas que cercam a cidade. O ‘Tiger Kingdom’ como e conhecido e um santuario onde tigres sao criados para depois serem vendidos para zoologicos. A visita consiste em 3 etapas que variam de acordo com a idade media (e tamanho) dos animais. Comecamos pela maternidade.

Logo que chegamos, fomos recebidos pelos tigres bebes, que ja possuem o tamanho de um cachorro de porte medio. Eles estavam bem agitados, e nao sao nem um pouco timidos com pessoas a sua volta, eles se aproximam, brincam, mordem. No quarto ha um funcionario responsavel em manter os tigrinhos ‘na linha’: com um pedaco de bambu na mao, ele bate na cabeca dos animais cada vez que eles fazem algo de errado, como atacar os turistas por exemplo. Aos poucos o animal vai se acostumando e a necessidade de acoita-los e cada vez menor.

Mas mesmo assim, acho a ideia de domestica-los um tanto distante. Aqueles bichinhos de aparencia fofa, olhos arregalados e patas enormes nao sao gatos grandes. Sao tigres.Nao gostam de ser acariciados e as vezes parece que estao se posicionando para ter o melhor angulo para pular em voce. E ao verem o Al, meu, eles ficaram doidos. Serio mesmo, foi ele entrar no quarto, todos os tigrinhos se aproximaram. Um deles comecou a morder a camisa do Al. Outro, o pe. Mas fora um arranhaozinho aqui e outro ali, nada serio aconteceu.

Dali passamos para a area onde estao os tigres com 6 meses de idade. Novamente, o Al acabou atraindo a atencao deles que, vez por outra pulavam sob ele querendo brincar. Ou eles acharam que ele tambem era um tigrinho, ou ele (o Al) estava com cheirinho de zebra, ahahhaha, o que acho que e mais provavel (ai se ele me ve falando assim…).

No final, fomos ver os tigres maiores, com 11 meses de idade. Neste estagio eles alcancaram apenas 1 terco do seu tamanho adulto, e olha, ja sao enormes! Mas por incrivel que pareca, os maiores foram os mais comportados, acho que a tecnica do bastao de bambu da certo mesmo, pois os maiores, de todos os que vimos, eram os mais tranquilos.

Foi um momento inesquecivel, sentir de pertinho estes animais, tao bonitos quanto perigosos.

Na volta, paramos para conhecer alguns templos. Chiang Mai ostenta mais de 300 templos espalhados pela cidade, quase a mesma quantidade que em Bagkok, mas numa area geografica bem menor, o que confere a cidade uma aurea de encantamento.

As ruas tambem parecem ser menos produzidas, apesar dos ‘hoteizinhos da moda’ que se multiplicam pela regiao. Dizem que no passado a cidade era acessivel apenas por elefantes e por esta razao, ela foi uma das que mais conservou suas tradicoes locais.

E, para conhecer um pouquinho mais sobre estas tradicoes, encerramos a noite com um torneio de Mai Tai, ou boxe tailandes como tambem eh conhecido.
Atravessamos a cidade e chegamos ate a Arena Principal, onde estava acontecendo o torneio. Pelo programa, naquela noite teriamos 11 lutas, algumas delas pela disputa do titulo de campeao, bem como premios em dinheiro.

Olhando pelo programa, e principalmente pelo peso dos lutadores, me senti assistindo a uma competicao escolar, pois o mais pesadinho ali tinha por volta de 60 kilos. Mas nao, embora alguns parecam mesmo com criancas, o tipo fisico das pessoas por aqui e mesmo menor que na Europa e Brasil.

A primeira luta que assistimos foi entre dois menininhos, que deveriam ter uns doze, treze anos. Apesar da pouca idade, ambos possuiam musculos super bem definidos e, com o entoar de uma musica que seguia sempre o mesmo ritmo, trocavam socos e muitas joelhadas entre si. Apesar da pouca idade, eles lutavam como homem feitos e nao deu para nao sentir um pouquinho de pena, pois eles deveriam estar na escola, ou brincando na rua, ao inves de numa arena, praticando um esporte tao violento.

As lutas, com o passar do tempo foram tornando-se mais e mais pesadas. Aonde havia disputa de titulo entao, nem se fala. Todos os movimentos eram seguidos pela plateia que pareciam ir a loucura quando um dos chutes/socos acertavam o oponente em cheio.

Ao lado do ringue, uma multidao parecia alvorocada, homens trocando notas de dinheiro entre eles. Fui la para ver o que estava acontecendo e um rapaz me explicou que ali eles estavam na verdade apostando dinheiro em quem iria ganhar. Achei estranho, pois nao havia uma banca, ou alguem que tivesse encarregado de tomar conta das apostas. Um senhor se aproximou e perguntou quem eu achava que iria ganhar, eu escolhi o homem de calcao azul, ele escolheu o de vermelho e assim, parece que apostamos. Bom, perdi a aposta, mas ele nem deu bola em receber o dinheiro. Nao entendi nada.

Muitas lutas depois (uma ateh com um knockout!), voltamos para nosso hotel. Amanha seguiremos para Luang Pra


Tags: ,

4 comentários para “Chiang Mai – Tailandia”

  1. UrbanVox says:

    Oi Kariiiiii 🙂
    tava vendo teu diario de aventuras… meu q massa!!!!! 🙂
    tou de adicionando ao meu google reader pra acompanhar sempre q vc postar!!
    bejusssss

  2. karina says:

    Oi Yuri!
    Obrigada, que bom que vc gostou!
    Abc,
    Karina

  3. Deborah says:

    Ka, tu é completamente louca!! Ficou no meio dos tigres!!! Ri muito com o cheirinho de zebra aahahahahah!! Adoro o seu jeito de viajar, com certeza se viajássemos juntas teriamos o mesmo ritmo, embora eu não seja tão corajosa quanto vc…

  4. karina says:

    Hey deh, os tigres sao na boa, eh soh nao estarem com fome, heheheheh

Deixe um comentário

*

Anti-Spam Quiz: