Bangkok – Tailandia – 2008

Por mais que voce leia, se prepare, pegue todas as dicas que puder, chegar num pais novo e sempre um encontro com o inesperado. Fora Mc Leod que juro por Deus, mas parece que sonhei com aquele lugar, todos os lugares que estivemos foi assim, tipo, sair do aeroporto, olhar pro ceu, para as pessoas, ate para o cinzeiro do aeroporto, e se ligar que aqui e tudo diferente….

E, Tailandia, entao, nem se fala. Li o livro de Alex Garland, ‘a Praia’ e tambem assisti ao filme, por isto, a ideia que tinha de Bangkok era aquela visao, ruas cheias, galinhas cruzando as vias, barraquinhas espremidas no meio da calcada vendendo sangue de cobra, essas coisas.

A cidade começou como um pequeno centro comercial e comunidade portuária,  servindo a cidade da Ayutthaya, que era a capital de Siam até que caiu nas mãos de Birmânia em 1767. Em 1782, a capital foi estabelecida em Thon Buri (agora parte de Bangkok) no lado oeste do rio. O rei Rama I construiu um palácio sobre a curva do rio e fez de Bangkok a sua capital, renomeando-a Krung Thep, que significa “cidade dos anjos”.

Uma curiosidade e que a cidade tambem esta listada no livro Guiness dos recordes, porcausa da extensao de seu nome original que na integra le-se: Krung Thep Mahanakhon Amon Rattanakosin Mahinthara Yuthaya Mahadilok Phop Noppharat Ratchathani Burirom Udomratchaniwet Mahasathan Amon Piman Awatan Sathit Sakkathattiya Witsanukam Prasit, ufa!

Descemos e logo tomamos nosso rumo ate a Kho San Road, o reduto dos mochileiros na cidade. Ali, a rua principal e fechada para o transito, e e lotada por barraquinhas vendendo desde roupas de praia, varios DVDs piratas, vestidinhos lindinhos, artesanato, etc. Uma barraquinha em especial me chamou a atencao, pois atraves de um cartaz oferecia forjar documentos como carteira de motorista, RG, Diplomas, etc…

Depois de nosso perrengue todo na noite anterior, decidimos pegar um hotel melhorzinho e, achamos um ali nas proximidades por meros 60 Reais/noite, com direito a piscina e tudo mais. Cheio de barzinhos em volta e bem em cima do 7Eleven, que pipocam a cada esquina deste pais. Tudo tao facil e bem ali a nossa frente que, depois de nosso dia em Calcuta, nao houve como nao fazer a comparacao: a India era a realidade nua e crua, fascinante, mas que nao faz forca para agradar. A Tailandia e o sonho, e a anfitria que te recebe cheia de sorrisos e flores.

Deixamos nossas coisas no hotel e fomos tomar uma cervejinha na area. Os bares por ali fervem de turistas. Muitos homens de meia idade sozinhos, outros acompanhados por tailandesas, varios grupos de nacionalidades diversas, o clima geral e de festa. Caminhamos por entre as vias, passando por varios restaurantes tipicos, decorados com flores diferentes, bambu, plantas. O clima no ar e tropical, um calor gostoso que me fez lembrar do Brasil. E ali, logo de cara vi que vou adorar este lugar.

Ainda meio cansados da viagem, apenas perambulamos em nosso primeiro dia. Fomos ate as proximidades do Rio Chao Praya e, com o cair da tarde, paramos num dos restaurantes para jantar. A comida tailandesa e um atrativo a parte. A combinacao de sabores e aromas e simplesmente maravilhosa, apesar de algumas vezes ser um tanto apimentada.

Terminamos a noite num barzinho de Ko San rd. No dia seguinte, saimos para explorar um pouco a cidade, entao pegamos um taxi ate a estacao onde sai o Skyline Train, um trenzinho que corre por trilhos elevados, como o projeto do Celso Pitta, o fura-fila (que fim levou ele?).

Mas as estacoes sao limpas modernas e nos trens ha uma diversidade de tipos de pessoas diferentes: executivos indo para o trabalho, os turistas (por todos os lugares), os sex-pats (cinquentoes europeus que visitam o pais em busca de ‘amor’), estrangeiros a trabalho pela cidade alem daquelas mocinhas lindas mas com um pe tamanho 42 e o carocinho da maca do Adao no pescoco.

Caminhamos o dia inteiro e terminamos a tarde na piscina, que fica no ultimo andar de nosso hotel. A vista la de cima e maravilhosa e dali, com o aproximar da noite, ja da para escutar o aumento gradual do borburinho nas ruas abaixo. A noite, Bangkok se transforma.

E aquela ideia de incosciente coletivo, onde as pessoas por saberem que estao em Bangkok sentem aquele desejo de cair na noite atras de diversao. Ou o contrario, Bangkok e assim porque todo mundo foi para la meio mal intencionado….

E fizemos o mesmo. Desde que assisti a ‘Priscila a Rainha do Deserto’ e tambem apos ouvir as historias de amigos meus que vieram para ca e assistiram ao ‘Ping Pong’ show, fiquei curiosa de saber se era mesmo fato ou boato. Entao fomos ate a area de Pat pong. Ha alguns anos atras, a area era um verdadeiro supermercado do sexo. O publico era formado fortemente pelos cinquentoes que mencionei acima, mas hoje, embora eles ainda estejam na area, o lugar tambem e frequentado por turistas de todas as idades.

Ao caminhar pelo mercado noturno, no calcadao entre as boates, varios tailandesinhos vieram nos abordar. O esquema era sempre o mesmo: chegavam com um papel na mao, onde escrito havia uma lista enorme de coisas como ‘Pussy smokes, Pussy Writes letters, pussy rainbow, pussy this, pussy that…’ . Aparentemente, estas eram os atos dos shows acontecendo nas imediacoes.

Depois de nos certificarmos de quanto iriamos pagar, porque nada e de graca nesta terra, entramos. O lugar era pequenininho e a luz vermelha ja era um sinal do que estava pro vir. No palco, algumas tailandesinhas dancavam de biquini, ate que alguem trouxe um bolo de aniversario. Uma das meninas se posicionou bem acima dele e, tirando a parte debaixo do biquini, assoprou as velhinas com aquela parte mesmo que voce esta pensando.

A segunda entrou em cena e colocou um papel no chao. Se aproximou do Alistair e perguntou o nome dele. Colocou uma caneta bem la na perereca e comecou a escrever uma cartinha para o Al. Nossa, olha nunca pensei que esta parte do corpo humano fosse tao cheia de utilidades!

O show tava engracadissimo ate que a certa altura, uma banana voou do palco para nossa mesa!!! Meu, e a menina veio nos pedir para pegar e dar para ela. Eh claro que nao! Tah louca???

Enfim, muito habilidosas, elas demosntraram todas as acrbacias que estavam na listinha. E enfim chegou a hora do ping pong show…A menina sentou com as pernas abertas, colocou a bolinha la dentro, deu uma raquete para o Alistair e assim, a tres, quatro metros de distancia, sacou a bolinha longe. E ainda mirou na raquete!!! Muito, muito engracado. O show em si eh ‘sleazyyyy’ ateh nao poder mais, mas eh divertidissimo.

Saimos do bar e fomos comer nas barraquinhas da rua. Aqui eles fazem tipo um churrasquinho na rua que e uma delicia. Alem de noodles e stir-fries. E ali, nas mesinhas de ferro, com um chicken-sate numa mao e uma cervejinha na outra, ficamos apenas assistindo ao vai-e-vem de gente.

Ate que o Al uma hora vira para mim e diz ‘Olha o que tem bem atras de voce!’. Olhei, vi um tailandesinho me empurrando um saquinho de comida, recusei, olhei para o Al e balancei os ombros como quem diz ‘So What?’. ‘Olha de novo!’.

Olhei e tinha um elefante bebe enorme atras dele. Pulei da cadeira de susto. O elefante estava super inquieto, balancando a tromba para todos os lados.

Aquela cena foi tao surreal que nem eu mesma acredito. So mesmo em Bangkok voce topa com um elefante nas ruas. So mesmo em Bangkok as mulheres atiram bananas com a perereca! Impressionante. Mas depois lendo mais sobre o assunto, aparentemente, devido a grande desmatacao no pais, os elefantes migraram mesmo para a cidade e viraram mendingos, acompanhados de um espertinho que deixa o animal ficar faminto para vender comida para os turistas poderem alimenta-los. Morri de do.


A noite estava otima, mas acho que ficamos satisfeitos com as doideras que vimos hoje entao voltamos para Ko San Rd. Nao era muito tarde, mesmo porque os bares aqui fecham cedo mesmo, por volta da 1h da manha. A rua estava em estado de calamidade publica, muita gente caida pelas sarjetas, uma bagunca!

No dia seguinte, resolvemos fazer um pouco mais de turismo, pois ate agora nao fomos a muitos lugares tipicos, o que na verdade, nem eu nem o Al achamos ruim, mas enfim… Alugamos umas bicicletas, que aqui sao gratuitas e saimos pelas ruas do centro, mas sao tantos templos para conhecer que ficamos meio perdidos e escolhemos por visitar o Wat Pho, onde esta o Budha deitado.

O lugar e simplesmente maravilhoso. A estatua gigantesca do buda deitado e simplesmente fantastica. Apesar de a primeira vista parecer que colocaram ele deitado porque ia ser um trabalhao construir o templo se ele estivesse em pe! Brincaderia….Na verdade a posicao remonta a passagem de Buda para o Nirvana.

Dali seguimos ate o Grand Palace, a residencia oficial do Imperador. Alias, ha fotos da familia real espalhadas pela cidade inteira, pois em agosto foi o aniversario da imperatriz. Dizem que zombar ou criticar o imperador por estes lados de ca e crime penitenciavel.

Continuamos nosso passeio, cruzando pelas ruas da cidade, comprimentando as pessoas que cruzavamos no caminho. Nao e a toa que chamam a Tailandia de terra do sorriso. As pessoas aqui sao tao doces, tao afaveis que a cada minuto tenho vontade de parar e conversar com cada um que encontro.

Voltamos para o hotel ja no fim da tarde e terminamos a noite num restaurante maravilhoso. No dia seguinte, fizemos o check out do hotel e, como nosso trem para Chiang Mai somente sai a noite aproveitamos para nos despedir da cidade com uma sessao de thai massagem.

Diferentemente da sessao que fiz na India, aqui a massagem e muito mais fisica. Ela e feita sob a roupa, e envolve bastante alongamentos e relaxamentos. Tambem a massagista usa bastante forca fisica, que na hora podem parecer dolorosos, mas o resultado e excelente.

Saimos de la felizes da vida. Alias, acho que aqui e a terra do sorriso por causa disto, este lugar e tao bacana que voce chega e sai dali assim: sorrindo!

Tags: , ,

10 comentários para “Bangkok – Tailandia – 2008”

  1. Minha querida, seu passeio pelo mundo fica cada vez mais empolgante! Tudo é muito diferente, estranho, engraçado, bonito, mas eu gostaria de estar aí para aprender as muitas utilidades da “perereca”. Estamos todos com muita saudade, a Clara está uma beleza e a Vitória se transformando numa adolescentezinha muito linda. Erika, desejo a você e ao Al um Feliz Natal e um Ano Novo cheio de aventuras e conquistas. Saudades, muitas mesmo, Vovó Vera.
    PS: esse meu e-mail é meio embaçado, porisso se puder usa o veralmotta@hotmail.com. Bjão.

  2. Karina, me desculpa mas casei a Erika com o Al, eu queria escrever seu nome, acho que tô ficando gagá, é que gosto tanto da Erika quanto de você. Apaga o Erika e pensa que mandei votos para você e para o Al. Da vovó atrapalhada, Vera.

  3. Jose de Abreu disse:

    Alo, que viagem incrível!
    duas notícias: 1. o que comprei em Varanasi era para a Globo, para ser usado na novela… 2. o Toy Train descarilou ontem, morreu uma pessoa.
    Jose de Abreu

  4. Deborah disse:

    Káaaaaaa, vc me mata de rir! ahaHAHAHAHAHA!!! Adorei “as mocinhas com pé 42..”, o “elefante mendigo”, o buda deitado “que em pé daria mais trabalho..” a sua tradução da Tailândia é maravilhosa!

  5. jane disse:

    parabens pelo relato ! tb me decidi pela tailandia mas vou so em outubro por isso ando lendo td o k posso p escolher o melhor roteiro, em relaçao ao alojamento em bangkok sabe me dizer o nome do hotel k fikou pk tenho lido varios artigos e nh faz referencia ao nome apenas ao preço se me puderes facultar agradecia.

  6. karina disse:

    Ola Jane!
    Tdo bem? Que bom que gostou do meu blog. Entao, em Bangkok eu fiquei num hotel na area de Kho San Road tem varios bons hoteis e a area eh super gostosa para circular. Nao lembro o nome do hotel, mas ficava na rua principal mesmo. Agente foi sem reserva mesmo, e nao foi dificil achar acomodacao por ali, mas se vc quiser garantir, eh soh dar uma olhadinha no site: http://www.hotelthailand.com/bangkok/location_bangkok/khaosan.html
    Boa Sorte!

  7. Sebastião disse:

    Olá
    Morei 5 meses neste país, e encontrei maravilhas e convevi com gente fantástica que nunca imaginaria encontrar. Fiz muitas aventuras, conheci o país de cabo a rabo, e vou te contar, eita páis maravilhoso pra se morar, cheio de multinacionais, estradas impecáveis até nos lugares mais remotos do país, como as montanhas e fronteiras com o camboja.
    Fui a ilha que fizeram o filme, a Praia, hj infestada de turistas, mas é um passeio inesquecível, na região de Krabi. Tem uma cidadezinha muito aconchegante e com uma beleza natural exuberante que se chama Ao Nang, próximo a Krabi, vc se sentirá em casa. Ah o passeio até as ilhas Phi-Phi, custam os míseros 50 reais, com passeio de speed-boat, almoço na ilha central, e refrigerante e agua a vontade, além de paradas para mergulho. É um país onde não se vê tanta exploração ao turista. Pra quem não consegue a Tailândia ainda, sugiro ir, com muito gosto. Tem as ilhas de Ko Samit, Ko Chang pra quem quer sossego, e tem as ilhas de Ko Lhan, ao lado da famosa cidade de Pattaya (pra quem conhece Phuket é a mesma coisa) e Ko Samui pra quem gosta dos agitos, lugares cheios de gente jovem e descolada. Bangkok sem comentários, além do tal fura fila, ainda tem várias vias expressas aéreas, onde vc pode cruzar a cidade em minutos….. Existem ainda belos lugarem nas montanhas, como Sukothai, Chiang Mai e até neve em Lohai….. A Tailândia é uma maravilha, o país inteiro planta, e pra quem não gostar da culinária, tem a 7Eleven…….valeu

  8. jane disse:

    oi karina , desculpa por so te agradecer agora ,mas so agora e que reparei que tinha respondido , irei certamente dar um look no site que me enviou , se entretanto se lembrar de mais alguma coisa ….
    valeu bj

  9. karina disse:

    Nossa Sebastiao, olha, qdo estive por Bangkok principalmente, percebi que haviam varios estrangeiros morando por ali, mas nunca imaginei que fosse encontrar brasileiro! Que bacana, deve ter sido uma experiencia incrivel! Abc,Karina

  10. Leonardo disse:

    Menina,
    seu blog é d+++++++++++++++++++++++.
    To encantado!
    Será importantíssimo pra minha viagem.
    Parabéns!

Deixe um comentário

*

Anti-Spam Quiz: